Maiêutica Divide com você

| Série Escola - Conquistas e Desafios |

Processamento Auditivo | Texto 5

 

 Noto que ultimamente, temos recebido mais crianças com alteração do processamento auditivo central. Em geral, a escola anuncia o transtorno de aprendizagem e encaminha para avaliação com um profissional da saúde, ocasião em que a suspeita é levantada e outros profissionais são acionados. Mas afinal, do que se trata esta suspeita?

 

 Primeiramente, o que é o Processamento auditivo central?

 Processamento auditivo é a maneira que o sistema auditivo recebe, analisa, organiza e interpreta  todos  os sons  que ouvimos. O som percorre um longo caminho, desde a orelha externa até chegar no cérebro. Para que este caminho seja percorrido sem intercorrências, dependemos de um conjunto de habilidades específicas, que interpretam os estímulos sonoros.

 O Transtorno de processamento auditivo é...

 Um distúrbio da audição em que há um impedimento das habilidades de analisar/ interpretar os padrões sonoros. Esta inabilidade pode ser o resultado de um prejuízo da capacidade biológica inata do organismo de um indivíduo ou a falta de experimentações em um meio ambiente acústico. Tem como causas prováveis as alterações neurológicas ou alterações sensoriais auditivas (perdas auditivas sensoriais) decorrentes de otites na infância.

 

 As Manifestações comportamentais são:

 

 A criança com transtorno de processamento auditivo central pode apresentar uma ou mais das seguintes manifestações comportamentais:

  • Atenção prejudicada

  • Dificuldade de escutar em ambiente ruidosos

  • Problemas de linguagem expressiva

  • Dificuldade de compreender palavras com duplo sentido

  • Problemas de escrita, trocas e inversões de letras

  • Disgrafias

  • Dificuldade de compreender o que lê

  • Distração

  • Agitação, hiperatividade ou apatia (muito quietos).

  • Tendência ao isolamento

  • Desempenho escolar inferior em leitura, gramática, ortografia e matemática.

Como é feita a Avaliação do processamento auditivo central

A avaliação do processamento auditivo central deve ser feita após a avaliação audiológica básica (audiometria, imitanciometria e IPRF). O exame  é feito numa cabina acústica com uso de fones de ouvido, onde são apresentados testes especiais considerando a faixa etária da criança.

Classificação do transtorno do processamento auditivo e conduta

O transtorno de processamento auditivo pode ser classificado em :

  • Leve: discreta dificuldade em acompanhar a conversação em ambiente ruidosos; cansam de prestar atenção.

  • Moderado: compreendem a conversação se a distância da fonte sonora for controlada; são consideradas crianças desatentas.

  • Severo: Incapazes de acompanhar conversação em ambientes ruidosos; podem ser julgadas como pouco competentes para aprender, resultando numa baixo autoestima.

 

Nos transtornos de processamento auditivo central, a conduta principal é terapia fonoaudiológica. O fonoaudiólogo é o profissional preparado para avaliar, orientar e tratar deste transtorno, mas muitas vezes se faz necessário o acompanhamento multidisciplinar com neurologistas, psicólogos e psicopedagogos para melhor e completa evolução do paciente.

Estejam atentos ao comportamento de suas crianças, pois quanto antes ocorrer a intervenção mais eficaz é o resultado.

Jaidete Santana

© 2019 Clínica Maiêutica. Todos os direitos reservados.